sábado, julho 6, 2024
DicasEducaçãoTecnologia

Como treinar o seu cérebro para se concentrar por mais tempo?

Depois de algumas horas estudando, parece que permanecer concentrado se torna uma missão ainda mais difícil. Confira 6 dicas que te ajudarão a manter o foco até o fim.

Ter continuidade nos estudos é uma das tarefas mais desafiadoras do estudante. Ainda mais com o advento da tecnologia, que nos enchem de distrações: notificações de redes sociais, ligações e mensagens. Sem contar com aqueles dias em que a mente se dispersa até com uma mosca passando ao seu lado.

O que poucos sabem, é que existem maneiras de treinar seu cérebro a resistir ao celular e a todas as outras distrações. A mente humana pode ser treinada, assim como o corpo de um atleta para um evento esportivo. Leia este artigo até o fim e te contaremos a maneira de fazer isso.

Não estamos falando de dicas banais, como desligar o celular e manter seu ambiente de estudo organizado. São instruções para seu cérebro aprender, de fato, a se concentrar. Confira!

Se divirta antes de iniciar grandes períodos de estudo

Reserve 10 minutos antes de iniciar os estudos para se divertir fazendo algo que costuma te distrair: conferir as redes sociais, responder e-mails ou ver as notícias. Dessa forma, você já inicia a rotina saciado com coisas que costumam ser gatilhos de dispersão.

Mesmo depois de iniciar os estudos, a aprendizagem não precisa ser direta e consecutiva por horas para ser produtiva. Fazer pausas entre um tempo de total concentração e outro, é importante para que o cérebro processe e aprenda tudo.

Mas para não quebrar uma linha de raciocínio, faça isso com uma frequência cronometrada.

 Por exemplo, descanse 20 minutos a cada 1 hora de estudo contínuo. Beba água, confira o celular e, se possível, vá para um ambiente externo.

Uma pesquisa da Universidade de Michigan, dos Estados Unidos, constatou que ambientes externos, principalmente, parques e praças, melhoram a sensação de fadiga e oxigenam o cérebro.

Fuja do multitasking

Por vezes, quando se está atolado de atividades, acaba-se aderindo ao multitasking – ato de realizar várias tarefas ao mesmo tempo. Pode dar a impressão que você está produzindo mais, mas dessa forma, o cérebro não consegue se atentar aos detalhes, por isso, não absorve conhecimento. O ideal é focar em uma atividade por vez.

Faça anotações à mão

Ainda que saiba qual é seu estilo de aprendizagem – resumos, vídeo-aulas, mapas visuais ou slides –, fazer algumas anotações à mão ajuda a absorver o conteúdo.

Pois, enquanto você se concentra no conteúdo, também se mantém focado no ato de escrever, seja para não errar ou para deixar a letra bonita. Isso faz com que não se distraia com outras coisas até terminar um parágrafo, por exemplo.

Prefira o exercício à teoria

Para tornar o estudo mais rápido e manter o foco ao mesmo tempo, busque resolver exercícios ao invés de ler a teoria várias vezes fazendo resumos.

Quando há um problema para ser resolvido, as redes neurais do cérebro focam em resolvê-lo. Por fim, ainda aprendem a lição proveniente da resolução. Como dizem, só se aprende que o fogo queima, quando se coloca a mão nele.

Controles mentais

A meditação é uma forma dominar a mente através da respiração, e pode ser feita em qualquer hora e lugar. Fazer essa prática todo dia é uma forma de aprender a silenciar os barulhos internos. Ou seja, consegue-se controlar os pensamentos alheios ao assunto, preocupações e, até, ansiedade. 

Para aprender a meditar, basta procurar vídeos do YouTube para iniciantes. Com o tempo e a prática, você conseguirá realizar o processo sozinho.

Um artigo da revista PNAS da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos da América, observou que 20 minutos de meditação diária já é suficiente para melhorar a concentração e reduzir a ansiedade.

Outro controle mental que pode ser feito é o gatilho mental. Primeiro, estipule uma frase para ser usada como gatilho quando você se distrair com barulhos internos.

Comece a usar a frase e se force a voltar aos estudos em seguida. Isso fará que seu cérebro se acostume a voltar ao foco toda vez que pensar na frase, automaticamente.