Carregando...
Notícias

Energia solar cresceu 58% em 2020

Energia solar

A indústria de energia solar apresentou um grande crescimento em 2020. Mesmo com o cenário pandêmico do planeta, esse setor foi um dos poucos que festejou alguma coisa no ano passado.

Ao longo da última década, a instalação de energia solar no Brasil teve uma queda de 90% em seu custo. Por conta disso, os preços ficaram mais acessíveis e a energia gerada por painéis cresceu 58% em relação a 2019.

Para o ano de 2021, a expectativa de crescimento é ainda maior. No entanto, o setor depende da aprovação da PL 5829/19, que está em regime de urgência na Câmara. Esse projeto de lei garante 100% de desconto nos encargos dos sistemas de transmissão e de distribuição à micro e mini geradores de energia solar.

Leia este texto e entenda um pouco mais sobre o crescimento da energia solar em 2020.

Energia solar em um país tropical

Quando se trata de energia solar, o fato de o Brasil ser um país tropical se torna benéfico. Por exemplo, apesar de a Europa ter um trabalho mais desenvolvido para energia renovável, a capacidade de geração do continente é de 10%. Por sua vez, a geração de energia do Brasil tem um índice de 30%. Isso tem muito a ver com as condições climáticas do nosso país.

Segundo Rodrigo Sauaia, presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o setor de energia solar contribuiu para a recuperação econômica sustentável do Brasil em 2020. Segundo Sauaia, isso aconteceu porque foram atraídos novos investimentos e dezenas de milhares de novos empregos.

No Brasil, o estado que mais gera energia solar é Minas Gerais, com 19,2% da energia total do país.

Energia solar – Casa Verde e Amarela

O setor brasileiro de energia solar pretende aplicá-la nas residências do programa Casa Verde e Amarela, substituto do antigo programa Minha Casa Minha Vida. Para que isso aconteça, é necessário que a presidência da República transforme essa ideia numa lei e permita o seu funcionamento.

O presidente da ABSOLAR acredita que “todos os municípios e estados brasileiros possuem elevado potencial solar”. Segundo ele, a tecnologia nacional de energia solar é uma grande propulsora de crescimento.

Compra de painéis solares

A procura pelos painéis solares está cada vez maior. Por conta disso, os grandes bancos aumentaram os prazos de financiamento das instalações. Para quem não quer fazer acordo com um banco, a outra opção é comprar esses painéis com as fintechs especializadas em energia solar.

A Solfácil, primeira fintech brasileira de energia solar, fechou 2020 com um crescimento médio de 30% ao mês. Além disso, ela terminou o ano com mais de R$ 100 milhões financiados, um crescimento 10 vezes maior que o de 2019. Na linha de crédito da Solfácil, é possível pagar o sistema de painéis solares em 120 vezes, com juros mensais de 1%.

Comprar um painel solar é substituir o custo da energia tradicional por um investimento na energia solar. Além da economia financeira, a pessoa causará um impacto positivo no meio ambiente.

De acordo com Fábio Carrara, presidente da Solfácil, as prestações de um painel solar custam 30% menos do que a conta de energia elétrica.

Crescimento do setor

Apesar do mundo viver uma pandemia, o setor de energia solar apresentou o seu maior crescimento na última década. Desde 2012, esse setor recebeu mais de R $36 bilhões em investimentos privados no Brasil.

Essa quantia gerou 220 mil novos empregos e evitou que 1,1 milhão de toneladas de CO2 fossem lançados na atmosfera. Ao todo, o Brasil possui 353 mil sistemas de energia solar conectados em sua rede.

Como a energia solar é uma fonte renovável de energia, a tendência é que os investimentos nessa área não parem de crescer. Só no Brasil, espera-se que o setor receba R $17,2 bilhões em investimentos ao longo deste ano.

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: